Segunda-feira, 25 de Junho de 2007

Sarkozy e a vantagem de ser de direita

Nicolas Sarkozy tem sido uma voz critica do BCE memso depois de ter ganho as eleições. Nestas afirmações a sua preocupação centra-se na valorização do euro:

 

 Je demande qu'on fasse avec l'euro ce que font les Américains avec le dollar, les Chinois avec le yuan, les Japonais avec le yen, les Anglais avec la livre", à savoir rééquilibrer les forces en faveur des productions faites dans la zone euro, a déclaré Nicolas Sarkozy.

"Comment nos industriels peuvent-ils être encore compétitifs si le dollar se dévalue de 34% par rapport à l'euro ? Est-ce que nous avons fait la deuxième monnaie du monde pour ne pas s'en servir ?", s'est-il interrogé.

Pode ser lido aqui

 

O euro tem-se valorizado significativamente face ao dólar e esta tendência tem condições para se manter - o BCE continua a dar sinais de que vai aumentar as taxas de juro e a Reserva Federal parece estar a dizer que as vai baixar. E afinal há muito que se diz que o dólar deveria cair, tendo como referência o défice externo dos EUA.

 

Vamos ver se nesta revisão dos tratados se entra nos domínios do estatuto do BCE. Sarkozy tem a vantagem de ser de direita, suspeito, por isso, de ser amigo do mercado e favorável à defesa da inflação baixa.Tem mais margem para criticar o BCE que a esquerda. Mas de criticar a mudar a sregras do jogo vai um grande passo... O passo de os alemães perderem o medo de terem trocado o seu marco por uma moeda fraca. A seguir com atenção.

Publicado por Helena Garrido às 00:01
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Domingo, 24 de Junho de 2007

E assim se cumpriu o destino na UE

  

Foi a capa do "The Economist" na semana de 21 a 27 de Junho de 2003. "Lamentável trabalho", assim era classificada a proposta para uma Constituição Europeia.

 

Exactamente quatro anos depois, os líderes europeus em Bruxelas, sob a presidência da Alemanha, deitam a mal nascida Constituição para o lixo.

 

O único salto que a UE consegiu dar foi o euro e continuará a ser o euro.  Num enquadramento muito especial.

 

Em Bruxelas agora deu vários passos atrás para conseguir dar um em frente... talvez em Lisboa.

Publicado por Helena Garrido às 18:43
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Segunda-feira, 18 de Junho de 2007

União Europeia em pequenos passos

A União Europeia entra numa semana não direi determinante - tantos já foram os temas que assim se classificaram -, mas importante para um novo pequeno progresso com o fim da "pausa de reflexão" sobre a Constituição.

 

O "mini-Tratado" reúne condições para ser a solução. É o regresso do caminho dos pequenos passos depois da fase de corrida que tem na moeda única a sua marca.

 

O primeiro-ministro mostra-se optimista. Nem outro tom poderia ter. Vamos ver como corre a cimeira em Bruxelas no fim da semana. A posição da Polónia é determinante. E o resultado ditará igualmente o papel de Portugal na sua terceira presidência da UE a começar dia 1 de Julho.

Publicado por Helena Garrido às 15:10
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Domingo, 3 de Junho de 2007

As prioridades de Portugal na UE

O primeiro-minitro falou hoje na sua visita à Áustria sobre as prioridades da presidência portuguesa para a União Europeia (UE). No seu discurso "O Valor Acrescentado da Europa", que neste momento ainda não está no site, deefndeu a revisão dos tratados como uma dasprioridades. O caminho que começamos a ver é cada vez mais aquele que sempre foi defendido pelo actual presidente da França Sarkozy, o modelo de mini-tratado.

 

Num à margem, pelo que oiço na RTP1 o primeiro-ministro começou por afirmar que nasceu em 1957 pelo que, disse, "posso dizer que nasci com a Europa". Porque será que esta intervenção me fez lembrar a capa e o trabalho de quinta-feira da Visão sobre os políticos no divã?

 

Publicado por Helena Garrido às 21:17
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Quarta-feira, 23 de Maio de 2007

Mercado (quase) único nos telemóveis

A partir de meados de Agosto falar ao telemóvel de um país para outro poderá já ser mais barato, com a queda das tarifas de 'roaming' que se prolonga até 2009 graças à iniciativa da Comissão Europeia designadamente da comissária para a Sociedade de Informação Viviene Reding. Os pormenores estão aqui.

 

Foi estabelecido um limite máximo de 0,49 euros por minuto quando se faz a chamada e 0,24 quando se recebe, a entrar em vigor assim que o compromisso hoje obtido seja publicado no Jornal Oficial da UE. Em 2009 esses máximos serão, respectivamente, de 0,43 euros por minuto e 0,24 euros.

 

Actualmente as tarifas de 'roaming' chegam a atingir os 5 euros por minuto, segundo estimativas da Comissão Europeia. Obviamente que uma das companhias que mais se opôs a esta regulamentação foi a Vodafone, assumindo o seu país de origem, o Reino Unido, o protagonismo. Ainda de acordo com estimativas da Comissão Europeia, o 'roaming' significou receitas de 8,5 mil milhões de euros em 2006.

 

Já era tempo de o mercado único chegar às comunicações móveis. As empresas de telemóveis já tinham tarifas especiais para viajantes frequentes. Mas lembro-me sempre das situações em que, mais simploriamente, se está perto de uma fronteira... estamos sempre a mudar de operador. Imagine-se o que isso não é à volta de Bruxelas.

 

O Mercado Único é isto, também. O que por vezes é esquecido.

Publicado por Helena Garrido às 17:38
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Contacto

helena_garrido@sapo.pt

Entradas recentes

Sarkozy e a vantagem de s...

E assim se cumpriu o dest...

União Europeia em pequeno...

As prioridades de Portuga...

Mercado (quase) único nos...

Temas

aeroporto

automóvel

banca

bce

bcp

conjuntura

desemprego

desigualdade

edp

educação

emprego

energia

flexisegurança

governo

inflação

media

ota

saúde

semana prevista

união europeia

todas as tags

Pesquisar

 

subscrever feeds