Segunda-feira, 28 de Maio de 2007

Vitórias e derrotas no BCP

Jorge Jardim Gonçalves fundador do maior banco privado português enfrentou hoje a sua primeira derrota pública. Retirou a sua proposta ao perceber que a assembleia geral ia votar contra. O tempo dirá se perdeu apenas uma batalha ou a guerra. E o que fará Paulo Teixeira Pinto com esta vitória após duas derrotas, na Roménia e na OPA sobre o BPI.

 

Os accionistas acabaram por votar, ainda que indirectamente, contra o reforço da protecção do BCP a ofertas de compra hostis. O tempo revelará o efeito desta decisão tomada numa altura em que o Millennium BCP está mais exposto a aquisições hostis num ambiente europeu marcado por uma forte onda de concentrações.

 

Venceu a ilusão de ganhos fáceis de curto prazo e uma visão de mercado em que a especulação pode ser destruidora de valor. Mensagens protagonizadas por Joe Berardo.

 

A "ditadura dos analistas" como uma vez chamou a este tempo Rui Vilar e a que junto a "ditadura das mensagens simples" justificam que se questione o papel perverso que tem, em determinadas circunstâncias, o mercado de capitais.

 

O sucesso dos "private equity" - fundos privados que têm adquirido empresas cotadas em bolsa -  tem sido a reacção visível à miopia que afecta as bolsas e as impede de antecipar que as estratégias que criam mais valor nem sempre são as que dão mais dinheiro a curto prazo.

Publicado por Helena Garrido às 23:34
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
1 comentário:
De joseAbreu a 29 de Maio de 2007 às 11:36
…tudo isto que vivemos não é mais que a falência do sistema económico social, e a falta de formação das pessoas, incluindo dos gestores. Os empresários continuam sem ética, e a pensar que podem fazer tudo o que considerarem oportuno às suas empresas, mesmo que isso possa por em causa a continuidade do projecto. Isso deveria ser completamente impossível, nos dias de hoje, ou não é uma economia de mercado!?

É o caso da SONAE, que depois de um gesto impensado, e de um comportamento emotivo, o empresário coloca o seu filho à frente da empresa, qualidades para o qual, já demonstrou não possuir.…mais uma que será comprada até ao fim do ano!?...

Comentar post

Contacto

helena_garrido@sapo.pt

Entradas recentes

...

FMI: muitas medidas, pouc...

Inflação e lei laboral

O adeus a Tony Blair

Flexisegurança, Portugal ...

O preço da (in)justiça so...

O maravilhoso mundo novo

Sarkozy e a vantagem de s...

Privatização da REN com p...

E assim se cumpriu o dest...

Temas

aeroporto

automóvel

banca

bce

bcp

conjuntura

desemprego

desigualdade

edp

educação

emprego

energia

flexisegurança

governo

inflação

media

ota

saúde

semana prevista

união europeia

todas as tags

Pesquisar

 

subscrever feeds