Domingo, 20 de Maio de 2007

Comércio e Domingo

Porque é que o Estado tem de se meter no horário do comércio como quer o Bloco de Esquerda? Não consigo perceber. É muito difícil racionalizar esta intervenção pública.

 

Se o objectivo é defender os trabalhadores já existe a legislação laboral. Se não é suficiente é aí que se deve actuar. O certo é que com as actuais regras, a abertura do comércio ao domingo aumenta o emprego e/ou o rendimento.

 

Se o objectivo é forçar as pessoas a irem, sei lá, aos museus... bem, como sabemos, a maioria, que pertence ao Estado, até está encerrada.

 

Será o objectivo moderar o consumo? Bem, com as restrições ao rendimento ditadas pela subida das taxas de juro o ritmo de crescimento do consumo está a abrandar.

 

O comércio é um dos sectores que tinha muito a ganhar se fosse menos regulamentado nos horários. E não estou a falar apenas dos hipermercados. O pequeno comércio, que é conhecido pelas queixas, tinha nessa liberalização uma grande vantagem. Sim, lembro-me que no passado não aproveitaram esssa oportunidade. Mas nem por isso se justifica que se imponham estes coletes de força completamente desnecessários e, pior ainda, destruidores de crescimento da economia 

Temas:
Publicado por Helena Garrido às 21:11
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Contacto

helena_garrido@sapo.pt

Entradas recentes

...

FMI: muitas medidas, pouc...

Inflação e lei laboral

O adeus a Tony Blair

Flexisegurança, Portugal ...

O preço da (in)justiça so...

O maravilhoso mundo novo

Sarkozy e a vantagem de s...

Privatização da REN com p...

E assim se cumpriu o dest...

Temas

aeroporto

automóvel

banca

bce

bcp

conjuntura

desemprego

desigualdade

edp

educação

emprego

energia

flexisegurança

governo

inflação

media

ota

saúde

semana prevista

união europeia

todas as tags

Pesquisar

 

subscrever feeds