Terça-feira, 19 de Junho de 2007

A desigualdade a preocupar

"Os governos devem fazer mais para ajudarem os trabalhadores a adaptarem-se à nova economia glogal", recomenda a OCDE no seu "Employement Outlook". As desigualdades na distribuição do rendimento agravaram-se nos últimos dez anos, alerta, divulgando este gráfico.

 

Com excepção da Espanha e da Irlanda, a diferença de remunerações entre os 10% que ganham mais e os 10% que ganham menos alargou-se. O caso mais grave é o da Hungria, onde essa relação passou de cerca de 4 vezes para quase 6.

 

Não são divulgados dados para Portugal o que é pena. Mas indicadores indirectos como o que mostrei aqui - com os preços da saúde a registarem um ritmo de crescimento que é três vezes superior ao da inflação global - só revelam esse agravamento.

 

Como podem os estados ajudar os trabalhadores a adaptarem-se à dita "nova economia global"? Tenho dúvidas que o possam fazer se fizermos as habituais excepções dos países nórdicos.

 

Portugal é um dos casos mais grave. Sem dinheiro nos cofres públicos nada se pode fazer para "ajudar os trabalhadores".

Publicado por Helena Garrido às 14:38
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Contacto

helena_garrido@sapo.pt

Entradas recentes

...

FMI: muitas medidas, pouc...

Inflação e lei laboral

O adeus a Tony Blair

Flexisegurança, Portugal ...

O preço da (in)justiça so...

O maravilhoso mundo novo

Sarkozy e a vantagem de s...

Privatização da REN com p...

E assim se cumpriu o dest...

Temas

aeroporto

automóvel

banca

bce

bcp

conjuntura

desemprego

desigualdade

edp

educação

emprego

energia

flexisegurança

governo

inflação

media

ota

saúde

semana prevista

união europeia

todas as tags

Pesquisar

 

subscrever feeds